Congresso de Ed Física 2016

terça-feira, 26 de julho de 2016

sexta-feira, 15 de julho de 2016

1◦ CONGRESSO DE EDUCAÇÃO FISICA DA FIEP DA REGIÃO NORTE

1° CONGRESSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA DA FIEP REGIÃO NORTE - MANAUS/AM
Abertura solene: 02 de Setembro de 2016
Local: Faculdade La Salle
Cursos de atualização: de 03 a 06 de Setembro de 2016
Valores:
1 curso de 12h: R$ 140,00
2 cursos de 12h: R$ 220,00
3 cursos de 12h: R$ 320,00
1 módulo de 6h: R$ 70,00
2 módulos de 6h: R$ 130,00
Inscrições até o dia 30 de Julho: 7% de desconto
Parcelamento pelo cartão de crédito em até 3x no valor integral.
Em breve lançamento do site oficial do evento.
E você, vai ficar de fora?

Maiores informações: congressofiepnorte@hotmail.com

domingo, 10 de julho de 2016

Portugal claims Euro title without injured Ronaldo.

SAINT-DENIS, France (AP) -- Portugal wins the 2016 European Championship, after substitute Eder scored in extra time to give his team a 1-0 win over France.
BOX SCORE:  PORTUGAL 1, FRANCE 0, ETEder's long-range shot that beat the despairing dive of France captain Hugo Lloris has sealed a first ever major tournament win for Portugal, beating the hosts despite losing captain Cristiano Ronaldo to a first-half injury. Eder shook off Laurent Koscielny and fired a low, right-foot shot to break French hearts in the 109th minute after the match at the Stade de France had ended level at 0-0 after 90 minutes.
Ronaldo was taken off on a stretcher off in the 25th minute after he failed to recover from a heavy challenge by France's attacking midfielder Dimitri Payet. He returned to sit on the bench, his left knee bandaged, and limped onto the pitch to encourage his teammates at the start of both periods of extra time.
Portugal's Cristiano Ronaldo holds the trophy after winning the Euro 2016 final soccer match between Portugal and France at the Stade de France in Saint-Denis, north of Paris, Sunday, July 10, 2016. (AP Photo/Martin Meissner)
http://hosted.ap.org/

THE RIO 2016 GAMES WILL PROVIDE THE BEST POSSIBLE ENVIRONMENT FOR PEAK PERFORMANCES. ATHLETES WILL ENJOY WORLD-CLASS FACILITIES, INCLUDING A SUPERB VILLAGE, ALL LOCATED IN ONE OF THE WORLD’S MOST BEAUTIFUL CITIES, IN A COMPACT LAYOUT FOR MAXIMUM CONVENIENCE.

The competition venues will be clustered in four zones – Barra, Copacabana, Deodoro and Maracanã – and connected by a high-performance transport ring. Nearly half of the athletes will be able to reach their venues in less than 10 minutes, and almost 75 per cent will do so in less than 25 minutes. Of the 34 competition venues, of which 18 are already operational, eight will undergo some permanent works, seven will be totally temporary and nine are being constructed as permanent legacy venues.
The Rio Games will also celebrate and showcase sport, thanks to the city’s stunning setting and a desire to lift event presentation to new heights. At the same time, Rio 2016 will be an opportunity to deliver the broader aspirations for the long-term future of the city, region and country – an opportunity to hasten the transformation of Rio de Janeiro into an even greater global city.

quinta-feira, 7 de julho de 2016

sexta-feira, 17 de junho de 2016

Jogos Olímpicos - Rio 2016

Legado

Os Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016 vão muito além do esporte. O evento vai deixar um legado não só para o Rio de Janeiro, mas para todo o Brasil, em diversas áreas – incluindo educação, cultura e sustentabilidade.

Fonte: https://www.rio2016.com/legado

Revezamento da Chama Olímpica mobiliza multidões pelas ruas de Belém.

Pedidos de fotos, de abraços e momentos de atenção e emoção entre fãs e ídolos do esporte e personalidades marcaram esta quarta-feira, 15 de junho de 2016, que entrou para a história da capital paraense com a passagem da chama olímpica pela cidade. Foram mais de 7 horas dedicadas ao revezamento da tocha, numa maratona que arrastou multidões por 32 quilômetros de percurso que culminaram com o acendimento da chamada pira olímpica num grande show no Portal da Amazônia.



No meio da multidão teve gente que mudou a rotina e até faltou trabalho para participar do momento histórico. Dona Lúcia Pereira, de 61 anos, moradora do bairro da Cabanagem, trabalha como serviço gerais mas saiu cedo de casa para garantir um lugar estratégico no Estádio Olímpico e ver de perto cada detalhe da passagem da tocha olímpica. “Se eu não fizesse esse esforço, sabe lá quando iria ter outra oportunidade dessas na vida”, disse entusiasmada sobre o momento que considerou único.
Centenas de pessoas foram até o Mangueirão prestigiar as apresentações culturais que antecederam o início do revezamento. Carimbó e guitarrada já anunciavam a grande festa que viria pela frente embalada no ritmo e na emoção dos 162 escolhidos para conduzir o fogo olímpico, no evento organizado pela Prefeitura de Belém, por meio da por meio da Secretaria Municipal de Esporte, Juventude e Lazer (Sejel), com o apoio do Governo do Estado.
De acordo com o titular da Sejel, Deivison Alves, “toda a programação ocorreu dentro do previsto e, felizmente, Belém entrou para a história da olimpíada no Brasil como uma das cidades que mais participou e se envolveu com a programação”.
Revezamento
Os jovens Victor Siqueira e Maria Vitória Egues, ambos de 13 anos, alunos da Escola Municipal Terezinha Sousa, foram escolhidos para acender a tocha e passar para as mãos do lutador de MMA Lyoto Machida, atleta que iniciou o revezamento. A escolha dos alunos se deu por meio de um concurso de redação que teve como tema O Brasil e os Jogos Olímpicos, realizado na própria escola.
“É uma emoção que estamos vivendo juntos e representando nossa escola. É uma grande honra participar desse momento, estamos trazendo a vibração dos amigos, nesse mix de emoções que é estar aqui”, declarou Vitória.
Lyoto Machida deu início ao revezamento por volta das 12h40. O símbolo foi repassado para outros atletas, artistas locais, nacionais e representantes da sociedade, escolhidos pelo Comitê Olímpico. Entre os participantes estiveram os artistas Pinduca, Liah Soares, Fafá de Belém, Gaby Amarantos e Gang do Eletro, além de atletas conhecidos nacionalmente como o ex-nadador Gustavo Borges e o ex-jogador da Seleção Brasileira, Denilson Oliveira.
Gaby Amarantos, declarou que fazer parte do grupo que conduziu a tocha foi muito especial. “Eu sou uma das madrinhas do time olímpico junto com grandes artistas e, há um ano, estou me preparando pra esse momento. Por isso, hoje é dia de festejar, de ‘tremer’ muito e representar minha cidade e o paraense que não vai poder estar nas olimpíadas, mas já começa a sentir esse espírito esportivo”, disse a cantora.
O ex-atleta e treinador de futebol Sinomar Naves, também escolhido para participar do revezamento, declarou o momento como um verdadeiro privilégio, por ser um dos 12.000 eleitos de todo o Brasil. “Agradeço a indicação da Sejel, por me permitir representar através deste gesto, todos os desportistas do nosso estado, principalmente aqueles anônimos que fazem um grande trabalho no esporte”, afirmou.
Percurso
A tocha percorreu 32 quilômetros pelas principais vias de Belém partindo da Augusto Montenegro, seguiu pela Almirante Barroso, Doutor Freitas, Duque de Caxias, Nazaré – onde recebeu as bênçãos com a Imagem de Nossa Senhora de Nazaré, Visconde de Souza Franco e vias do Centro Histórico, até chegar ao Portal da Amazônia.
Todo o trajeto recebeu orientação de homens da Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana de Belém (Semob) e envolveu diversos órgãos de segurança como Guarda Municipal, Detran, Polícia Militar e Polícia Rodoviária Federal. Ao todo, cerca de 300 agentes deram suporte ao evento. A Secretaria de Estado de Segurança Pública (Segup) disponibilizou outros cerca de 730 profissionais de segurança e 50 viaturas distribuídas em todo o percurso.
Mais de três mil pessoas no Portal da Amazônia
Durante o revezamento a população de Belém deu um verdadeiro show de receptividade, com comemorações e muita vibração por onde a chama olímpia passou. Centenas prestaram homenagens e fizeram questão de participar daquele momento, mesmo que fosse por alguns poucos minutos. “Eu consegui pegar minha filhinha na escola e correr aqui para a Duque, para ver o comboio da tocha passar. É incrível como isso mexe com a gente e gera uma forte emoção”, relatou a dona de casa, Maria Aparecida Melo, de 36 anos.
Na chegada da chama ao Portal da Amazônia, último ponto do revezamento, o público já se concentrava à espera do símbolo olímpico aproveitando as apresentações eletrônicas de Dj’s. Por volta de 19h30, o fogo olímpico chegou à orla e foi conduzido pela Top Model Carol Ribeiro, que acendeu a pira olímpica, no palco. A programação seguiu ao som do Grupo Folclórico Trilhas da Amazônia, Banda AR15 e Jorginho Gomes e Banda. A despedida da tocha ocorre nesta quinta-feira, quando segue para o Amapá.
Texto: Karla Pereira
Foto: Adriano Magalhães / Eliza Forte / Uchôa Silva-Agência Belém 
Coordenadoria de Comunicação Social (COMUS)

sábado, 4 de junho de 2016

Projeto municipal de Educação Inclusiva ganha visibilidade nacional.

Desenvolver projetos que permitam a acessibilidade do aluno com deficiência na escola, dando condições e possibilidades para o seu desenvolvimento de forma equiparada aos demais alunos, é fomentar uma educação de qualidade a todos, com perspectivas de um futuro melhor, digno e cada vez mais inclusivo. Esse é um dos objetivos, por exemplo, do projeto “Circuito Mini Atletismo Inclusivo”, da unidade educacional Terezinha Souza, localizada no bairro Castanheira, que foi agraciado pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, com a 2ª colocação no Prêmio Paratodos de Inclusão Escolar.
O Circuito Mini Atletismo Inclusivo é resultado do projeto Portas Abertas para a Inclusão, implantado na rede municipal em 2015, fruto de uma parceria entre a Prefeitura de Belém, Instituto Rodrigo Mendes, Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) e Fundação Barcelona, instituição vinculada ao time espanhol de mesmo nome.
O projeto oportunizou a cada escola avaliar a melhor forma de incluir alunos com qualquer tipo de deficiência e a pensar em novas metodologias de trabalho, como jogos cooperativos, oficinas, palestras, atividades culturais e pedagógicas. “Nós decidimos levar adiante um projeto já desenvolvido aqui na escola e adequá-lo às novas metodologias. Foi aí que pensamos em mudar os paradigmas competitivos para uma prática pedagógica pautada nos princípios da inclusão”, explicou a diretora do Terezinha Souza, Cláudia Upton.
Cláudia ainda ressalta a felicidade em poder desenvolver um trabalho inclusivo cada vez mais aceito e reconhecido. “É importante esse reconhecimento, pois o trabalho realizado na rede municipal se dá de forma coletiva. Os investimentos na educação inclusiva têm sido tantos que de todo o país, apenas 15 capitais, incluindo a nossa, foram selecionadas para receber o Portas Abertas, o que resultou positivamente na evolução que os nossos alunos tiveram, e também no reconhecimento nacional de um trabalho desenvolvido com qualidade e comprometimento”, complementou.
Desenvolvido durante as aulas de educação física, o Mini Atletismo Inclusivo envolve todos os 518 alunos da unidade educacional, inclusive os 17 alunos com diagnósticos de deficiências intelectual e auditiva, paralisia cerebral, distúrbio de comportamento, hiperatividade, Transtorno do Espectro Autista (TEA) e síndromes de Turner e de Down.
Evolução
Para Lílian Nascimento, doméstica e mãe do aluno Jhony Nascimento, de 5 anos, diagnosticado com paralisia cerebral, o momento é de alegria e muita comemoração. “A escola mereceu a 2ª colocação, pois este é um projeto que estimula o desenvolvimento psicomotor dos alunos com algum tipo de deficiência. Quando matriculei meu filho no Terezinha Souza não imaginava que ele fosse evoluir tanto. O Jhony não fazia nada e hoje já escreve, conversa e até participa de atividades físicas.Esse é um grande motivo para comemorar e mostrar para as outras mães que elas não devem perder as esperanças”, ressaltou emocionada.
Marcelo Castro, 12 anos, diagnosticado com deficiência intelectual, é outro aluno da escola que também participa de atividades físicas e apresenta grande evolução. “Eu quero que todos saibam da minha história como uma vitória, porque hoje consigo fazer o mini atletismo e gosto muito. Eu fico feliz nessa aula porque posso correr e pular junto com os meus colegas”, disse.
A atividades são realizadas na quadra escolar e com o apoio de todos os educadores, os estudantes são divididos em grupos para executar as seis estações que compõem o mini atletismo. As estações são de salto sobre a corda elástica, salto triplo, salto com agilidade, salto em distância, corrida com obstáculos, arremesso de peso, lançamento de cabo de vassoura, salto com vara de bambu e corrida de revezamento.
Professor de Educação Física, Itair Medeiros, explica que com a inclusão de alunos com deficiência os movimentos foram sendo criados durante a própria execução dos exercícios, conforme as necessidades do grupo. “Queremos permitir a participação de todos, então houve algumas mudanças e flexibilizações, como por exemplo, o salto, ao invés de atirar-se de um lugar para o outro, os alunos passam de um lugar para o outro, no lançamento antes o critério era de arremessar esferas com força e agora é de abandonar um peso em um determinado ponto, e na corrida o que conta não é mais o tempo e a velocidade mais sim a conclusão da estação”, detalhou.
As estações foram montadas com o uso de materiais de baixo custo e reutilizáveis, tais como pneus, garrafas plásticas, jornais, papelão, TNT, fita, saco plástico, barbante, cabos de vassoura, corda, varas de bambu, areia e tintas, e são identificadas com placas em Língua Brasileira de Sinais (Libras).
Compromisso
O comprometimento que a Prefeitura de Belém vem mostrando com a educação inclusiva vem aumentando a procura por vagas na rede municipal de ensino. Maykon Freitas da Silva, com paralisia cerebral, é um dos novos alunos da rede. As ótimas referências da Escola Terezinha Souza, justificam a escolha da mãe de Maycon ao matricular o filho na unidade. “Todos falavam muito bem das escolas do município, matriculei meu filho na unidade mais próxima que é aqui e não me arrependo. Em apenas quatro meses meu filho já se socializa com os demais, já anda de bicicleta e já participa da corrida de revezamento, e pra uma mãe isso não tem preço”, afirma.
Kaliel Gonçalves, 9 anos, é colega de Maykon e diz aprender com ele. “Nós aprendemos um com o outro, mas com ele aprendi o que é mais importante, a não desistir de nada, pois quando queremos é possível. E ele é meu colega e meu exemplo de superação”, revelou o estudante.
Investimentos
Os investimentos realizados na Educação Inclusiva resultaram no aumento significativo do número de alunos com algum tipo de deficiência matriculados na rede. Em 2013 o total de alunos com deficiência era de 483. Em 2015,chegou a 1.382. Já já em 2016 este número já chega a 2.260.
Das 73 escolas de ensino infantil e fundamental de Belém, 50 possuem as salas de recursos multifuncionais onde, duas vezes por semana, equipes formadas por psicólogos, fisioterapeutas, pedagogos, entre outros profissionais, exploram as potencialidades dos alunos, de acordo com cada limitação. Nas salas há mobílias, recursos de tecnologia assistida, como máquina braile, teclado adaptado, jogos e softwares, além de outros instrumentos que auxiliam no desenvolvimento escolar dos atendidos.
Além das salas de recursos, a Prefeitura entregou em dezembro de 2015 a sede própria do Centro de Referência em Inclusão Educacional Gabriel Lima Mendes (Crie), onde três vezes por semana os estudantes recebem atendimento educacional especializado com fonoaudiólogos, psicopedagogos e outros profissionais.
Nas escolas, os alunos contam com rampas de acesso, banheiros adaptados e placas sinalizadoras e ainda têm garantia de transporte através do ônibus escolares completamente refrigerados e adaptados com rampas elevatórias para pessoas com deficiência.
 Texto: Natasha Albarado 
Foto: João Gomes - NID Comus 
Secretaria Municipal de Educação (SEMEC)

Seminário para jurados do Arraiá da capitá- FUMBEL.

O Arraiá da Capitá começa só no dia 16 de junho, mas os preparativos para o tradicional concurso de quadrilhas juninas, promovido pela Prefeitura de Belém, já estão a todo vapor. Na noite de quinta-feira, 2, foi realizada a segunda parte do seminário para os jurados do Concurso de Quadrilhas Juninas e Misses Juninas. Iniciado na quarta-feira, 1, o seminário vai até esta sexta-feira, 3, e visa a orientar quanto aos critérios a serem avaliados em cada quesito, esclarecer dúvidas e garantir coesão na avaliação dos jurados.
Jurada no quesito Coreografia, Arianne Pimentel, de 29 anos, ressalta a importância desses três dias de preparação. “Esse é um momento de estudo e compartilhamento, em que é muito importante que haja esse alinhamento de ideias e julgamentos, para que não ocorram discrepâncias de avaliação”.
Arianne é formada em Dança e mestre em Arte pela Universidade Federal do Pará (UFPA) e foi uma das duas pessoas selecionadas para julgar o quesito Coreografia. Serão avaliados, ainda, traje junino, marcação, conjunto e evolução das quadrilhas, sempre contando com dois jurados para cada quesito.
“Como professora de dança, é apaixonante participar desse evento, que se trata de uma expressão popular e cultural. Poucas quadrilhas têm um profissional de dança formado dentro do grupo, eles aprendem da observação. É algo que passa de geração em geração, e que não podemos perder”, afirmou Arianne, que espera ter a oportunidade de julgar grandes espetáculos este ano. Esta é a terceira vez que ela participa do corpo de jurados do concurso.
A escolha do corpo do júri partiu de uma seleção de currículos realizada pela Fundação Cultural do Munícipio de Belém (Fumbel), que ao final selecionou quatro pessoas para cada quesito e, deixou a critério dos representantes dos grupos juninos a escolha dos 11 jurados finais do concurso. Daniel Freitas de Araújo, bacharel em música pela UFPA e integrante do grupo vocal AMA e do Amazônia Jazz Band, também fará parte desta equipe, sendo o responsável por auxiliar os grupos na parte musical.
Para Francisco das Chagas Pereira, de 50 anos, com mais de 20 de carreira no mundo das artes plásticas e cênicas e um extenso currículo que inclui seis participações no júri do concurso junino promovido pela Prefeitura de Belém, o evento é uma das principais expressões culturais do nortista e que, por isso, não pode perder a identidade e tradição.
“A cada ano vejo coisas originais nas apresentações, um elemento novo, diferente, alegórico, essa é a essência do fazer popular. Mas acredito que mesmo que nos deixemos influenciar por outras culturas, precisamos manter a nossa, nos reconhecer”, disse Francisco, que julgará traje junino e revela ser criterioso na avaliação. “Avalio desde a utilização do material, composição, criatividade, utilização de materiais regionais ou não, até a escolha da adequação do traje para cada pessoa, pois tem que garantir mobilidade para desenvolver o espetáculo”, explicou.
Este ano o Arraiá da Capitá chega à 4ª edição e conta com 55 quadrilhas inscritas na categoria juvenil/adulto e nove inscritas na infanto-juvenil. Serão dez dias de festa, do dia 16 a 26 de junho, na praça Waldemar Henrique. Haverá ainda a tradicional escolha das misses juninas, com atenção para os quesitos beleza, traje junino, coreografia e conjunto.
Para a Fumbel, que organiza o evento, a expectativa é grande. “A praça Waldemar Henrique conta com toda a estrutura que precisamos para realizar um evento desse porte, e estamos prezando pela organização, daí a importância desse seminário, de manter um diálogo com os jurados, tirar todas as dúvidas, enfatizar a importância da pontualidade e da coesão nos critérios de julgamento”, disse a chefe da divisão de Artes Cênicas da Fumbel, Ruth Botelho. “Somos um dos poucos Estados que ainda mantêm viva a tradição junina na sua essência, prezando por um traje que represente a roça. Os trajes não podem virar carnavalescos, precisamos manter a tradição”, completou.
Nesta sexta-feira, 3, o seminário continua, os jurados se reúnem com o presidente da Federação Municipal de Quadrilhas Juninas de Belém (Femuq), Maurício Nassau, com um corógrafo e um estilista, que passarão as últimas informações antes do concurso.
Texto: Kennya Corrêa
Foto: João Gomes - NID Comus / Uchôa Silva/Comus 
Coordenadoria de Comunicação Social (COMUS)

sábado, 28 de maio de 2016

26° CONGRESO MUNDIAL DE EDUCACIÓN FÍSICA FIEP.

* 26° CONGRESO MUNDIAL DE EDUCACIÓN FÍSICA FIEP.
 * 25° Congreso Internacional FIEP Paraguay.
9, 10, 11, 12 de Julio en Asunción-Paraguay

#CURSOS
TURNO MAÑANA 09:00-12:00 horas
1- HANDBOL (César Servín-Gabriela Brusquetti) Paraguay.
2- NUTRICIÓN DEPORTIVA ( Diego López) Paraguay.
3- HIDROTERAPIA EN DEPORTISTAS ( Lilian Sanabria) Paraguay.
4- RECREACIÓN Y JUEGOS RECREATIVOS EN ESCUELAS ( Hani Awad) Brasil.
5- FITNESS ( Brunno Elías) Brasil.
6- FUT-SAL FIFA (Paulinho Cardoso) Brasil.

TURNO TARDE 14:00-17:00 horas
7- MASAJE ANTI STRESS Y DEPORTIVO ( André Nessi) Brasil.
8- MASTER CLASS ZUMBA-RITMOS LATINOS (Rossana Fleitas Medina- Francisco Arce) Paraguay.
9- ATLETISMO ( Fernando Sequeira) Cuba.
10- BIOMECÁNICA DEPORTIVA ( Jesús Montenegro) Venezuela ( Patricia Beltrán) Colombia.
11- ACTIVIDADES FÍSICAS PARA ADULTOS MAYORES ( Raúl Lorda) Uruguay.
12- EDUCACIÓN FÍSICA ESCOLAR (Rodolfo Buenaventura) Argentina.
13- PERSONAL TRAINING (André Fernándes) Brasil.

TURNO NOCHE 18:00- 21:00 horas
14- ORGANIZACIÓN DE EVENTOS DEPORTIVOS ( Alfonso Geoffrey) México.
15- AEROBIC ESCOLAR Y COMUNITARIA ( Gerardo Calderón) Argentina.
16- PRESCRIPCIÓN Y EJERCICIOS FÍSICOS APLICADOS A OBESOS, HIPERTENSOS, DIABÉTICOS Y OTROS ( José Fernándes Filho - Paula Roquetti) Brasil.
17- FÚTBOL DE CAMPO (Fernando Jubero) España (Daniel Farrar) Italia (Enrique Landaida) Paraguay.
18- BÁSQUETBOL ( Eduardo Pfleter)


COSTOS
Un curso: 25 dólares
Dos cursos: 35 dólares
Tres cursos: 45 dólares
INFORMACIÓN
- Local del evento y Secretaría General: Escuela Nacional de Educación Física ENEF Km 4.1/2 Asunción
- Julio Vera 0981-667071
- Ana Ortigoza
E-mail: coord.fiep@gmail.com
Teléfono: 0973-550176 / 0981-110799

quinta-feira, 26 de maio de 2016

FLICTS - De Ziraldo e a TEIA dos saberes.

“Não tinha a imensidão do Amarelo
nem a paz que tem o Azul
Era apenas o frágil e feio e aflito Flicts"
TEIA dos Saberes
  O livro começa “Era uma vez uma cor muito rara e muito triste que se chamava Flicts”. Possui características próprias, diferentes de todas as outras cores. Sua solidão era intensa, não era aceito por nenhuma outra cor. Cada cor tem sua interpretação, o vermelho é forte, o amarelo tem uma luz imensa, e o azul transmite paz. "Não existe no mundo nada que seja Flicts”. Não tinha lugar no mundo para Flicts, nem na caixa de lápis de cor, nem no parque e nem no arco-íris. Rejeitado por todas as cores. "Era apenas o frágil e feio e aflito Flicts”. Ele tenta a salvação no trabalho, uma faixa em alguma bandeira, percorre o mundo todo, “pelos países mais bonitos, pelas terras mais distantes, pelas terras mais antigas, pelos países mais jovens” e não se acha. Nesse momento no livro estão desenhadas várias bandeiras cada uma ocupando duas páginas. Muito bem feito. Pensa encontrar-se no mar e também não consegue. Ziraldo dedica oito folhas para descrever o mar que é muito inconstante e vai mudando de cor, uma obra de arte. Um dia Flicts sobe para bem alto e vai subindo, subindo e encontra-se na Lua. Faz parte da Série Mundo Colorido, da Editora Melhoramentos.

quarta-feira, 25 de maio de 2016

XX Feira Pan Amazônica do Livro.

XX Feira Pan-Amazônica do Livro no HANGAR.
Oficina: LINGUAGEM DAS BRINCADEIRAS, ATRAVÉS DE VIVENCIAS INFANTIS COM MATERIAL ALTERNATIVO.
Ministrante: Antônia Sueli da Paz e Rosa Costa Org.: COEI/SEMEC.

XX Feira Pan Amazônica do Livro.


A partir de sua quinta edição, a Feira Pan Amazônica do Livro, além de homenagear um escritor, passou também a escolher um país para celebrar. E de lá para cá, cerca de 11 nações já estiveram nessa condição. Para comemorar, os 20 anos do evento, no entanto, a organização resolveu reverenciar o planeta Terra, representando o país de todos.

A escolha contou com o apoio das pessoas envolvidas no evento, com a escritora homenageada da XX Feira Pan Amazônica do Livro, Amarilis Tupiassu. “Ela abre as portas para muitas discussões: migração, genocídio, campos de refugiados, etc. A Terra corre perigo em várias instâncias, você homenageia, mas também puxa discussão para alertar, no sentido de salvar. Então é um tema muito rico”, avalia.

Serviço: XX Feira Pan Amazônica do Livro. De 27 de maio a 5 de junho, no Hangar Convenções e Feiras da Amazônia, das 10 às 22 horas. Entrada franca.

terça-feira, 24 de maio de 2016

À espera da tocha olímpica, Belém avança com preparativos

Capital paraense será uma das mais de 300 cidades que receberá o símbolo das Olimpíadas

Por: Redação ORM NewsEm 13 DE MAIO, 2016 - 18H23 - OLIMPÍADAS
Um dos maiores símbolos dos jogos olímpicos, a tocha, chegará a Belém no dia 15 de junho, mas os preparativos para recebê-la já estão em estágio avançado. Uma reunião nesta sexta-feira (13) definiu o trajeto dela na capital paraense.
O encontro aconteceu na Secretaria Estadual de Segurança Pública e Defesa Social (Segup), com a participação de representantes de órgãos do Governo e Prefeitura e o roteiro traçado para o percurso, que terá 32 quilômetros, foi saindo do Estádio Olímpico do Pará até o Portal da Amazônia.
Em Belém, a tocha será conduzida por 162 personalidades esportivas, como a judoca pentacampeã mundial Daniela Tanaka e o ex-campeão do UFC, Lyoto Machida, que será o responsável pelo acendimento da chama. Serão 32 quilômetros de percurso.
O roteiro nacional inclui mais de 300 cidades pelo Brasil. Ao longo de 95 dias, 12 mil pessoas participarão do revezamento da Tocha Rio 2016. Belém será a segunda das cidades na rota aérea, que percorrerá 10 mil milhas em trechos das regiões Norte e Centro-Oeste, entre Teresina e Campo Grande.
Foto: Sidney Oliveira / Agência ParáFoto: Sidney Oliveira / Agência ParáO Comitê Olímpico Brasileiro (COB) chegará a Belém trazendo todo o aparato para a cerimônia do revezamento da tocha às 09:45 do dia 15 de junho, uma quarta-feira. Em seguida, eles serão conduzidos, em dois comboios escoltados por um forte esquema de segurança, até o Estádio Olímpico do Pará, onde será iniciado o revezamento da tocha olímpica até o Portal da Amazônia. Cento e sessenta e dois paraenses estão sendo selecionados pelo COB para levarem a tocha e a relação dos condutores só será divulgada no dia 14 de junho, véspera do evento.
Cada condutor levará a chama por cerca de 200 metros. O estádio abrirá os portões para o público a partir das 8 da manhã e grupos de carimbó estarão fazendo a preliminar da festa até a chegada dos representantes do Comitê Olímpico Brasileiro. 
Na próxima sexta-feira (20), uma nova reunião vai definir detalhes sobre o esquema operacional e dia 1º de junho, com uma simulação pelas ruas do percurso. 'Hoje foi apresentada a programação pela Prefeitura, de acordo com o que o Comitê Olímpico estabeleceu, e com base nessa programação, definimos alguns grupos de trabalho que vão trabalhar na segurança ostensiva, preventiva e repressiva, outro no acompanhamento, no monitoramento de possíveis manifestações e um outro, na recepção. Esses sub grupos vão montar os seus planos detalhados e na próxima reunião, vamos fechar o esquema de operacionalização', concluiu o Coronel Hilton Benigno, secretário adjunto da Segup.
De Belém, a tocha olímpica vai para Macapá e no dia 17, retorna ao Pará, dessa vez em Santarém. Todo este processo será encerrado com as Olimpíadas do Rio de Janeiro, que acontecerá de 5 a 21 de agosto. 

quarta-feira, 11 de maio de 2016

III SIPAT da Secretaria Municipal de Educação de Belém - SEMEC.



O Núcleo de Atenção à Saúde do Trabalhador – NAST-SEMEC, em continuação às ações de promoção e prevenção à saúde, estará realizando neste mês de maio/2016, a III SIPAT, “Semana Interna de Prevenção de Acidentes e Agravos no Trabalho”, para servidores da Secretaria Municipal de Educação.
A SIPAT é um evento anual obrigatório, de acordo com a legislação trabalhista, que busca através de palestras, gincanas, teatro e atividades motivacionais, dentre outras, desenvolver a consciência e orientar o trabalhador sobre a importância da prevenção de acidentes e agravos/doenças ocupacionais.
Na SEMEC, com esta nomenclatura, a SIPAT foi iniciada em 2014, e ocorrida também em 2015, com ações realizadas na SEDE. Neste ano de 2016, além da SEMEC SEDE, a ação está ocorrendo durante o mês de maio/16 nos diversos espaços laborais incluindo Escolas, UEI’s e UP’s. Na Sede serão realizadas palestras no Auditório da SEMEC conforme cronograma abaixo:
* Dia 17/05/16 Prevenindo Estresse no Trabalho – das 15h às 16h
* Dia 18/05/16 Prevenindo Queimaduras – das 10h às 11h
* Dia 19/05/16 Saúde Preventiva – das 15h às 16h

As palestras são abertas para todos os servidores da Secretaria Municipal de Educação. Basta ligar para o (3075-5429) e solicitar seu credenciamento na palestra desejada.

Começa a campanha educativa para o Maio Amarelo em Belém.

Teve início na manhã desta quarta-feira, 11, na Escola Municipal Amália Paumgartten, no bairro do Guamá, a programação da Prefeitura de Belém em alusão ao movimento Maio Amarelo. Na abertura da campanha,  agentes educadores da divisão de educação para o trânsito da Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana de Belém (Semob) apresentaram uma peça educativa sobre segurança no trânsito. As crianças que frequentam a escola também participaram da ação, compartilhando de forma lúdica, relatos reais de casos em que a imprudência no trânsito acabou vitimando parentes ou pessoas próximas delas.
 Começa a campanha educativa para o Maio Amarelo em Belém.
Começa a campanha educativa para o Maio Amarelo em Belém.
Começa a campanha educativa para o Maio Amarelo em Belém.

Ana Cláudia Borba, diretora da Escola Amália Paumgartten : Iniciativas como essas são sempre válidas para a formação das crianças.

Há sete anos atuando como diretora da escola, Ana Cláudia Borba acredita que iniciativas como essas são sempre válidas para a formação das crianças. “No trânsito, nem sempre somos nós os imprudentes, por isso precisamos ter um cuidado dobrado, pois muitas vezes outros condutores acabam trazendo riscos para terceiros”, analisa. Mesmo assim, Ana Cláudia acredita que as constantes campanhas educativas desenvolvidas nas escolas, despertam a consciência de cidadão desde a mais tenra idade.  “Quando abordamos os estudantes sobre a segurança no trânsito percebemos neles o interesse em seguir as recomendações. A problemática maior está mesmo nos pais de alguns alunos que não costumam entender a importância de ser prudente”, disse.
O estudante Renan Wanzer, de 15 anos, aprova a iniciativa da Prefeitura em realizar campanhas educativas não só nas ruas, mas também dentro das escolas. Para Renan, ter cautela e tomar atitudes visando à segurança no trânsito sempre é melhor do que se estressar e acabar causando acidentes. “Os professores sempre nos incentivam a sermos cidadãos melhores, a cuidar da comunidade e ter cautela ao atravessar a rua, esperar os ônibus ou mesmo ir à esquina de casa”, afirma.
A programação da Semob para o Maio Amarelo continua nesta quinta-feira, 12, com uma palestra sobre o tema “Trânsito: Uma Questão de Comportamento” a ser realizada na faculdade Estácio-FAP, localizada na Rua Municipalidade, 839. No dia 13, sexta-feira, a partir das 9h haverá blitz educativa para condutores e pedestres na Avenida Almirante Barroso, em São Brás. Às 19h30, a programação prossegue com a palestra  “Prevenção a Acidentes no Trânsito”, na Faculdade Maurício de Nassau, situada na Travessa Quintino Bocaiúva, 1808. Já no dia 19, quinta-feira, será realizada uma blitz educativa na Avenida Presidente Vargas com a Rua Gama Abreu. Depois, no dia 20 de maio, os agentes educadores da Semob estarão na Escola Municipal Alfredo Chaves, localizada na Rua 02 de Dezembro, no bairro do Cruzeiro, em Icoaraci. No dia 23 mais uma blitz educativa será realizada, dessa vez para os funcionários da Rede Celpa, na sede da empresa, que fica na Avenida Augusto Montenegro, a partir das 8h.
No dia 24, a Semob estará presente na Escola Estadual Professora Odete Marvão, situada na Avenida Augusto Montenegro, Passagem Oliveira, Rua Oscarina Darc, 31. O encerramento das ações será no próximo dia 25, com uma blitz educativa, na Avenida Almirante Barroso com a Travessa Tavares Bastos. 
“O Maio Amarelo não é apenas uma campanha, mas sim uma ação, onde toda a sociedade está convidada a participar de debates sobre trânsito e como torná-lo mais seguro. A ideia é definir ações mais eficazes para promover a conscientização de motoristas e pedestres”, destaca o técnico em segurança e educação para o trânsito da Semob, Manoel Pinheiro.
Texto: Ricardo Miranda
Foto: Eliza Forte & Rosinha Costa
Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana de Belém (SEMOB)