CONGRESSO FIEP 2015

quinta-feira, 21 de agosto de 2014

Aluna do Projeto Talentos conquista o ouro nas Paralimpíadas Escolares.





Desafio e superação. Essas duas palavras poderiam perfeitamente resumir a história de vida de Adriana Almeida dos Santos, 13, que tem paralisia cerebral. As limitações, contudo, nunca a impediram de chegar aonde queria. E um desses objetivos foi alcançado nesta quarta-feira, 20, com a conquista da medalha de ouro na prova dos 100 metros, no lançamento de pelota e no arremesso de peso durante as competições de atletismo dos VII Jogos Paralímpicos Escolares do Pará, realizados no Estádio Olímpíco do Pará. A vitória pode garantir à Adriana a convocação para a fase nacional dos Jogos Paralímpicos. 
E assim como ela, oito alunos com deficiência que participam do Projeto Talentos Paralímpicos, desenvolvido pelo Centro de Referência em Inclusão Educacional Gabriel Lima Mendes - CRIE, vinculado à Secretaria Municipal de Educação, disputaram as provas de salto em distância, corrida de 1000, 300 e 400 metros, arremesso de peso, lançamento de dardos e lançamento de pelota. “Estou muito feliz, é a primeira vez que participo e já sou campeã”, comemorou Adriana, que é aluna da Escola Municipal Paulo Freire, no Tenoné.
O projeto Talentos Paralímpicos, em sua primeira participação em eventos esportivos alcançou um total de 11 medalhas, sendo 11 de ouro, uma de prata e uma de bronze.
Os Jogos Paralímpicos são uma seletiva à Paralimpíada Nacional, que ocorrerá no período de 24 a 29 de novembro, em São Paulo. A fase estadual iniciou na segunda-feira, 18, e segue até o dia 21. Participam da competição quase 210 alunos com idades entre 12 e 17 anos. Nesta quinta-feira, 21, será o último dia da competição com provas de natação.
Para a mãe de Adriana, a dona de casa Keliane Barros de Almeida, o fato da filha realizar atividades esportivas só faz com que o desenvolvimento físico, psicológico e motor da jovem melhorem. “Antes a Adriana chorava quando ia pra escola, não gostava de fazer o dever de casa e nenhuma atividade física. Hoje a gente já percebe uma melhora considerável. Ela está muito mais comunicativa, já não cai tanto e consegue desenvolver as atividades como as outras crianças”, ressaltou.
Os Jogos Paralímpicos reúnem alunos de Belém, do Distrito de Mosqueiro e de outros dez municípios: Ananindeua, Marituba, Tucuruí, Abaetetuba, Acará, Moju, Tailândia, Marabá, Parauapebas e Barcarena.
Além do atletismo, a competição abre espaço para outras modalidades esportivas como goalball, judô, futebol de 7 (praticado por atletas do sexo masculino, com paralisia cerebral), bocha, natação e futsal DI (Deficiência Intelectual).
Josiane de Araújo, 17, é portadora de nanismo. A jovem estuda na Escola Estadual Rodrigues Apinajé, mas também é atendida pelo projeto. Ela destaca a alegria e o prazer que a prática de exercícios lhe propocionam. “Eu sempre tive vontade de participar de uma competição, de saber como é, e agora estou podendo realizar um sonho por meio do projeto Talentos Paralímpicos”, afirmou.
O coordenador do projeto, Paulo Douglas de Andrade, define como principal barreira para a inclusão dos jovens nas atividades do Talentos Paralímpicos o instinto dos pais em superproteger os filhos por medo de que se machuquem ou não consigam obter o mesmo desempenho dos alunos que não apresentam restrições de movimento ou cognição.
"O difícil é convencer os pais a deixarem de ser superprotetores. Quando o convite é feito aos alunos, eles rapidamente aceitam e querem logo participar das atividades. Mas os pais relutam e pra vencer esse medo nós estabelecemos um diálogo intensivo e permanente com as famílias. É preciso compreender que a partir do momento que há a socialização entre alunos com deficiência, o contato faz com que eles melhorem a autoestima, o emocional, e outros fatores que influenciam diretamente no aspecto educacional”, ressaltou.
O Projeto Talentos Paralímpicos teve início este ano e seu principal objetivo é favorecer a inclusão educacional através do esporte. A equipe que atua no projeto avalia os alunos, dividindo as escolas por distritos, para avaliar aqueles que possuem maior potencial. O primeiro a ser visitado foi o distrito de Icoaraci. Além do atendimento esportivo, oferecido duas vezes na semana no Campus III da Uepa, os alunos também participam de atividades físicas e recreativas dentro das escolas.
Texto: Aline Saavedra
Foto: João Gomes / COMUS
Secretaria Municipal de Educação (SEMEC)

terça-feira, 19 de agosto de 2014

UEPa oferece palestra sobre “Educação inclusiva, corpo e escola”

A linha de formação de professores do PPGD/CCSE/UEPa – Programa de Pós Graduação em Educação do Centro de Ciências Sociais e Educação e o Grupo de Pesquisa de Ressignificar convida os professores e demais funcionários da Secretaria Municipal de Educação de Belém, para a palestra “Educação inclusiva, corpo e escola”, com o palestrante Prof.Dr. José Pereira de Melo (UFRN).
A palestra ocorrerá dia 27/08, às 11h, na sala de recitais do CCSE/Campus I/UEPA, localizado na Travessa Djalma Dutra, esquina com a Djalma Dutra, no bairro do Telegrafo. Os participantes da palestra receberão certificados emitidos pela Universidade do Estado do Pará.

Mais informações: 32135782

segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Conheça nove dicas para controlar o colesterol alto.

Praticar exercícios, consumir fitoesteróis e chá-mate ajuda a equilibrar taxas

POR CAROLINA SERPEJANTE  - ATUALIZADO EM 07/08/2014
O Dia Nacional de Combate ao Colesterol, comemorado dia 08 de agosto, nos lembra de um dado importante: de acordo com o Ministério da Saúde, cerca de 40% dos brasileiros tem colesterol alto, e doenças associadas a esse problema, como infarto e AVC, são apontadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como sendo a primeira causa de morte no mundo. Isso porque, quando está descontrolado, o colesterol se deposita nas artérias ajudando a formar placas de gordura nessas estruturas, provocando o endurecimento dos vasos (aterosclerose). Além disso, o acúmulo cada vez maior de gordura também obstrui as artérias e vasos, levando ao aumento da pressão arterial, o que pode levar a derrames e afetar o funcionamento do coração.

O nutricionista Israel Adolfo, de São Paulo, explica que de 70 e 80% de todo o colesterol que precisamos é produzido pelo nosso corpo, e que apenas o restante dessa porcentagem vem da alimentação. Por isso algumas pessoas que levam uma vida muito saudável ainda sim apresentam altas taxas dessa substância e precisam de acompanhamento profissional. No entanto, muitas pessoas conseguem controlar o colesterol apenas fazendo mudanças em seu estilo de vida. Mas o que é o "colesterol alto" que todos falam?

Existem dois tipos de colesterol: o LDL, que é o colesterol de baixa densidade, cuja função é levar a gordura do fígado para os tecidos; e o HDL, que é o colesterol de alta densidade, cuja função é retirar o excesso de LDL dos tecidos e levá-los ao fígado, evitando que ele se acumule nas paredes das artérias. Para cada três moléculas de colesterol LDL é necessária apenas uma de HDL para transportá-las, e por isso os níveis saudáveis de colesterol funcionam de forma proporcional - para inibir o acúmulo de gordura nas artérias, é necessário evitar altas taxas de LDL e os níveis baixos de HDL. As quantidades recomendadas de colesterol são de 100 mg por decilitro de sangue para o LDL e 40 mg ou mais por decilitro para o HDL, sendo que o colesterol total deve estar abaixo dos 200 mg/dl. Confira aqui o passo a passo campeão para livrar seu organismo desse mal: 

  • carne vermelha - Foto Getty Images
  • bolacha com margarina - Foto Getty Images
  • salmão - Foto Getty Images
  • nozes - Foto Getty Images
  • pessoas se exercitando na bicicleta ergométrica - Foto Getty Images
  • aveia com frutas e iogurte - Foto Getty Images
  • azeite - Foto Getty Images
  • chá - Foto Getty Images
  • cigarros apagados - Foto Getty Images
 
 
DE 9
carne vermelha - Foto Getty Images

Reduzir a gordura saturada do cardápio

Todos os alimentos que têm gordura saturada possuem colesterol, devendo portando ser consumidos nas proporções adequadas para uma dieta saudável. De acordo com o nutricionista Israel Adolfo, de São Paulo, nossa alimentação deve conter no máximo 300 mg de colesterol por dia para mantermos os níveis equilibrados. A gordura saturada está presente em alimentos de origem animal, como carnes, ovos, leite e derivados. "Não existe colesterol em alimentos de origem vegetal, e por isso eles não representam uma ameaça", ressalta o nutrólogo José Ernesto dos Santos, da Associação Brasileira de Nutrologia. Embutidos como salame, mortadela e presunto também são ricos em colesterol. Os peixes e cortes magros de frango, sem pele, são bons substitutos, já que não tem tanta gordura. Opte por comer carne vermelha apenas duas vezes por semana e prefira os cortes mais magros, como patinho, maminha e músculo. Trocar os queijos gordurosos, como provolone e mussarela, por versões mais magras, como cottage, também ajudam na redução do colesterol proveniente da dieta.  
bolacha com margarina - Foto Getty Images

Invista em fitoesteróis

Os fitoesteróis são substâncias antioxidantes encontradas na natureza em fontes vegetais, mas alguns itens da indústria alimentícia já são enriquecidos com este componente. O colesterol e os fitoesteróis tem como semelhança sua estrutura química. As duas substâncias competem uma com a outra para serem absorvidas pelo intestino, e a consequência disso é que menos colesterol será absorvido pelo organismo. "Além disto, o fitoesterol altera a solubilidade do colesterol no intestino, fator que também diminui sua absorção", explica o nutricionista Israel Adolfo. A ingestão de 2,5 a 3 g/dia de fitosterois reduz a colesterolemia (nível de colesterol no sangue) em cerca de 10 a 12%. Boas fontes de fitoesteróis são os óleos vegetais crus, nozes, feijão, legumes, verduras e alimentos enriquecidos, como creme vegetal e iogurtes.  
salmão - Foto Getty Images

Consuma mais ômega 3

Os ácidos graxos ômega 3 possuem propriedades anti-inflamatórias, antitrombóticas e antirreumáticas, que atuam reduzindo a concentração dos lipídeos do sangue, favorecendo a vasodilatação. O ômega-3 é capaz de evitar a formação das placas de gordura na parede das artérias e garantir a flexibilidade dos vasos sanguíneos, afastando o risco de doenças como infarto, hipertensão, aterosclerose e derrames. Além disso, esses ácidos graxos modificam a composição química do sangue, provocando o aumento dos níveis do HDL (colesterol bom) e a diminuição dos níveis de LDL (colesterol ruim). Ele também consegue reduzir os níveis de triglicerídeos do sangue. "Além disso, o organismo utiliza o ômega 3 para produzir prostaglandinas, substâncias químicas que têm participação em muitos processos, inclusive no combate às inflamações dos vasos sanguíneos", explica a nutricionista Fabiana Honda, da consultoria nutricional Patrícia Bertolucci. Boas fontes de ômega 3 são peixes como salmão, truta e atum, e alimentos como linhaça, nozes, óleo de canola, rúcula e milho. Além disso, existem hoje em dia alimentos enriquecidos nesse nutriente, como o creme vegetal.  
nozes - Foto Getty Images

Equilibre o consumo de ácidos graxos ômega 3 e 6

O ômega 6 é um ácido graxo poli-insaturado que possui funções específicas no organismo, como no auxilio à cicatrização, diminuição do colesterol LDL e ainda ajuda a aumentar a queima de gordura corporal. Suas principais fontes são as carnes, ovos, leite, oleaginosas e óleos vegetais. No entanto, os ômegas 3 e 6 precisam estar em equilíbrio no organismo para tirarmos melhor proveito deles - isso porque altos níveis de ômega 6 no sangue causam o efeito contrário, levando ao acúmulo de gordura nos vasos sanguíneos e aumento do risco de doenças cardiovasculares. "O que mudou tão drasticamente a proporção entre essas gorduras na alimentação ocidental foi o alto consumo de óleos poli-insaturados, produtos refinados e carne de gado, peixe e frango criados com ração", explica o nutrólogo Wilson Rondó, de São Paulo. Segundo o especialista, as rações ricas em grãos, como a soja, apresentam alto teor de ômega 6. Dessa forma, os animais que são alimentados com esse tipo de ração acabam apresentando uma quantidade maior do nutriente. Uma medida para reduzir o consumo de ômega 6 proveniente das proteínas animais é priorizar o consumo de carnes, aves e peixes orgânicos. A relação ideal entre esses ácidos graxos é de um para um, sendo um limite máximo de um ômega 3 para quatro ômega 6. "Quando em equilíbrio, o ômega 6 previne o aumento de células gordurosas, diminui o colesterol e triglicérides e reduz a resistência à insulina", afirma o nutrólogo. No entanto, o ômega 6 não é um vilão e seu consumo não deve ser cortado da dieta - pelo contrário, deve ser estimulado seu consumo da forma adequada, de preferência acompanhado de uma boa fonte de ômega 3.
pessoas se exercitando na bicicleta ergométrica - Foto Getty Images

Praticar exercícios

Fazer atividades físicas regularmente é a maneira mais eficaz de aumentar a queima de gordura corporal, reduzir o colesterol ruim (LDL) e aumentar o colesterol bom (HDL) - principalmente se forem aeróbicas, com a caminhada e a corrida. Os exercícios funcionam como um importante anti-inflamatório do corpo, impedindo que as moléculas de colesterol bom sofram oxidação. Além disso, o condicionamento físico e cardiorrespiratório gerado pela atividade física faz com que nosso coração fique mais forte, impedindo uma sobrecarga com atividade simples, facilitando o controle de pressão, colesterol e peso.  
aveia com frutas e iogurte - Foto Getty Images

Consumir mais fibras

As fibras diminuem a absorção de gorduras pelo organismo, reduzindo o nível de LDL. De acordo com o nutricionista Israel, a fibra se liga ao colesterol e impede sua absorção, por isso ajuda no controle das taxas. "Até certo ponto os níveis de colesterol podem ser administrados com o consumo de fibras, sendo que a recomendação para uma dieta equilibrada é de 400 g de fibra por dia", diz. Entre as fontes de fibras, há um destaque especial para a aveia, que é rica em substâncias chamadas beta-glucanas. Quando comemos o cereal, as beta-glucanas formam um espécie de gel durante o processo de digestão, e o colesterol ficam mais tempo "preso" nesse gel, para depois ser absorvidos. O consumo regular de aveia, especialmente na forma de farelo, pode diminuir em até 10% o colesterol alto. Além da aveia, enriqueça sua dieta com alimentos integrais e consuma frutas com a casca, como a maçã, a pera, a uva, sempre que possível.  
azeite - Foto Getty Images

Consumir mais azeite de oliva

Chamado de "ouro líquido" pelos mediterrâneos, o azeite de oliva está no ranking de alimentos essenciais ao cardápio de quem quer combater o colesterol descontrolado e, por consequência, zelar pela saúde do coração. Uma pesquisa realizada por pesquisadores da Universidade de Barcelona e publicada noNew England Journal of Medicine comprovou que a dieta mediterrânea, cuja base é o azeite extravirgem, castanhas, peixes vegetais, é capaz de reduzir em 30% o risco de doenças cardiovasculares. O azeite de oliva não só ajuda a diminuir o mau colesterol (LDL) como aumenta o bom colesterol (HDL). "Isso ocorre graças a presença de antioxidantes, gorduras monoinsaturadas e vitamina E no alimento", explica o nutrólogo Wilson Rondó. Além dele, outras fontes de gorduras monoinsaturadas são o óleo de canola e oleaginosas, como castanhas, nozes e amêndoas. 
chá - Foto Getty Images

Aceita uma xícara de chá?

A dupla chá verde e chá-mate é uma ótima aliada no controle do colesterol. O chá verde contém flavonoides, antioxidantes que ajudam a prevenir a inflamação dos vasos sanguíneos provocada pelas taxas de colesterol em desequilíbrio. Quanto ao chá mate, uma pesquisa realizada pela Universidade Federal de Santa Catarina constatou que consumir três doses diárias de aproximadamente 300 ml (quase 1 litro por dia) da bebida diminui em 13% as taxas de colesterol LDL e aumenta o colesterol HDL. Segundo os especialistas, isso acontece porque o chá-mate possui alcaloides e glicídios, substâncias capazes de interagir com os ácidos biliares e reduzir a absorção de colesterol.  
cigarros apagados - Foto Getty Images

Largar o cigarro

As substâncias nocivas presentes no cigarro potencializam a oxidação das partículas de colesterol, desencadeando inflamações nas artérias que podem levar à formação de placas de gordura, entupindo os vasos. No caso de quem já tem o colesterol alto, o tabaco potencializa ainda mais esse processo. Ou seja, os riscos de entupimento de um vaso ficam ainda maiores, aumentando a probabilidade de má circulação e até de um infarto.  

Colesterol: você conhece os mitos e verdades sobre ele?


Descubra como fibras, fitoesteróis e carne vermelha estão relacionadas com as taxas


Você sabia que o nosso corpo produz entre 70 e 80% de todo o colesterol necessário, e que o resto vem da nossa alimentação? Dessa forma, os níveis alterados de colesterol podem ser uma consequência genética, ou seja, pessoas que naturalmente produzem mais colesterol do que o normal. Caso contrário, o colesterol elevado é uma consequência direta dos excessos na alimentação. Existem dois tipos de colesterol: o LDL, que é o colesterol de baixa densidade, cuja função é levar a gordura do fígado para os tecidos; e o HDL, que é o colesterol de alta intensidade, cuja função é retirar o excesso de LDL dos tecidos e levá-los ao fígado, evitando que ele se acumule nas paredes das artérias. As quantidades recomendadas de colesterol são de 100 mg por decilitro de sangue para o LDL e 40 mg ou mais por decilitro para o HDL, sendo que o colesterol total deve estar abaixo dos 200 mg/dl. Quer saber como manter esses níveis sempre adequados?

Prepárense!!!


segunda-feira, 11 de agosto de 2014

Vote nos seus favoritos, o Prêmio Top FIEP Brasil 2014-2015 já começou

(editor, em 1 de agosto de 2014)
Troféu TOP FIEPO Prêmio Top FIEP Brasil tem como objetivo valorizar os destaques do ano na área da Educação Física, escolhendo através da votação on-line os destaques nas categorias: profissionais, estudantes, livros, revistas e sites. E, você pode contribuir participando com o seu voto ou concorrendo ao Prêmio!
Desde 2004 a premiação já condecorou diversos profissionais e projetos, que você pode conhecer através da lista de vencedores. Os vencedores da edição 2014-2015 receberão o troféu durante o 30º Congresso Internacional de Educação Física em Foz do Iguaçu.

As categorias do Prêmio Top FIEP Brasil 2014-2015 são:

  • Categoria Professores/Profissionais: Concorrem somente professores e profissionais.
  • Categoria Estudantes: Concorrem somente estudantes de graduação de cursos de Educação Física.
  • Categoria Livros: Concorrem livros e e-books que tenham sido lançados.
  • Categoria Revistas: Concorrem revistas editoriais e científicas.
  • Categoria Internet: Concorrem sites, blogs, twitters, aplicativos, comunidades de redes sociais e demais serviços de internet.
  • Categorias Especiais: Não são abertas à votação, sendo indicadas pela Delegacia Geral da FIEP.
O Prêmio, organizado em parceria com a Delegacia da FIEP no Brasil, é aberto para todos que quiserem votar, e também concorrer, assim você também pode ser um dos destaques deste ano. Para votar, acesse: www.congressofiep.com/top-fiep
80 aniversario de Alcatraz: sus presos más famosos

Alactraz: La Roca




Se cumplen 80 años de la inauguración de la famosa penitenciaría y repasamos sus más conocidos habitantes (© AP Photo)
Siguiente
Anterior
Anterior1 de 18Siguiente
Con 1576 criminales pasando a través de sus puertas durante su existencia entre 1934 y 1963, la isla prisión de Alcatraz, junto a la costa de San Francisco, California, ha visto a numerosos indeseables. Por supuesto, algunos eran más conocidos que otros, ya que cometieron algunos de los crímenes más impresionantes de la historia de los Estados Unidos.
Este 11 de agosto se cumplen 80 años desde que Alcatraz abrió sus puertas y nosotros recordamos algunos de sus residentes más infames.
Alphonse Gabriel 'Al' Capone, también conocido como 'Scarface', fue uno de los gángsters más famosos de todos los tiempos, interpretado en la gran pantalla por Robert de Niro y muchos otros. Fue también uno de los primeros presos de Alcatraz. Enemigo público número uno y jefe del crímen en Chicago, Capone ordenó el día de San Valentín de 1929 la masacre de siete miembros de una mafia rival.
A pesar de sus asesinatos, Capone fue finalmente condenado por evasión de impuestos en 1931. Su encarcelación comenzó en la prisión de Atlanta (en la imagen), antes de que los rumores de tratamiento preferente tuvieran como consecuencia su traslado a la más restrictiva Alcatraz.
Fonte: http://noticias.es.msn.com/

sábado, 9 de agosto de 2014

Reconheça e evite esses sete erros ao tratar uma dor de cabeça

Automedicar-se e não procurar um médico ainda são os erros mais comuns

POR MANUELA PAGAN
Estresse físico e emocional, barulho, luminosidade excessiva, dormir pouco, jejum prolongado, consumo excessivo de álcool, gorduras, sedentarismo: todos esses são apenas alguns dos gatilhos mais comuns para a dor de cabeça. Segundo dados da Sociedade Brasileira de Cefaleia, cerca de treze milhões de brasileiros apresentam dores de cabeça diariamente. A neurologista Thaís Rodrigues Villa, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), explica que a grande maioria, infelizmente, costuma procurar atendimento médico apenas quando a dor de cabeça aparece com crises intensas e, principalmente, muito frequentes. Mas esse é apenas um dos equívocos quando o assunto é tratar a cefaleia. Veja outros sete erros e elimine a dor de cabeça junto com esses maus hábitos. 
  • Remédios - Getty Images
  • Não prestar atenção na dor - Getty Images
  • Manter os velhos hábitos - Getty Images
  • Não seguir o tratamento médico - Getty Images
  • Tentar se diagnosticar - Getty Images
  • Conviver com a dor - Getty Images
  • Esperar a dor passar - Getty Images
 
 
DE 7
Remédios - Getty Images

Automedicação

O uso excessivo de analgésicos, sem prescrição médica, pode transformar uma dor de cabeça esporádica em crônica, ou seja, quase diária. "Quanto mais se toma analgésicos, menos efeito eles fazem, o que pode fazer a pessoa procurar remédios mais potentes, ou aumentar sua dose, levando a um perigoso círculo vicioso de dor", explica a neurologista Thaís Rodrigues Villa. O uso excessivo de medicações analgésicas é hoje a principal causa da enxaqueca crônica. "Analgésicos são medicações necessárias e excelentes para o tratamento das crises de dor aguda - o problema é a forma indiscriminada com que são usados, sem um diagnóstico e orientação médica adequada", explica. Ao procurar um médico para tratar a dor, muitos pacientes tem que ser "desintoxicados" de todos esses remédios. Ou seja, todos os medicamentos utilizados são suspensos, para que o tratamento que vai prevenir a dor crônica funcione. 
Não prestar atenção na dor - Getty Images

Não prestar atenção na dor

Fazer um diário de dor de cabeça ajuda não apenas quem sofre com a dor, mas também seu médico a combater a cefaleia - uma vez que os diagnósticos da enxaqueca e da dor do tipo tensional se baseiam nos dados clínicos, ou seja, nas informações que o paciente trouxer à consulta. "Quanto mais detalhado melhor", orienta Thaís Rodrigues, que aconselha: "Deve-se anotar no diário os dias em que a dor acontece, sua duração, intensidade, sintomas associados, se houve uso de alguma medicação e a situação desencadeante da crise". 
Manter os velhos hábitos - Getty Images

Manter os velhos hábitos

Junto com o diário da dor, você vai também acabar descobrindo quais situações fazem a sua dor se agravar e, com isso, poderá evitá-las. A neurologista Thaís Rodrigues Villa explica que inibir as crises é a base do tratamento da cefaleia. Mudar hábitos, conforme a orientação do seu médico, é o primeiro passo para acabar com o incômodo. 
Não seguir o tratamento médico - Getty Images

Não seguir o tratamento médico

Mesmo evitando os desencadeantes, algumas pessoas precisarão fazer um tratamento específico para prevenir que as crises ocorram. Ele é feito com medicações não analgésicas, prescritas pelo médico caso a caso, que vão ser tomadas diariamente por algum tempo. O neurologista José Geraldo Speciali, da Sociedade Brasileira para Estudos da Dor (SBED), explica que quando as crises são de baixa frequência - até duas vezes por mês - pode-se tomar analgésico apenas nos dias da crise. Mas se elas excedem essa frequência, há necessidade do tratamento preventivo por um tempo de, no mínimo, seis meses.
Tentar se diagnosticar - Getty Images

Tentar se diagnosticar

Thaís Rodrigues explica que é comum confundir os fatores desencadeantes (dormir mal, por exemplo) com as causas da cefaleia. "Identificar os gatilhos refere-se a descobrir quais fatores estão relacionados ao aparecimento das crises, mas quem vai diagnosticar e tratar a doença de base é o médico especialista, em geral neurologista, que deve ser procurado idealmente para um diagnóstico e tratamento corretos", orienta. 
Conviver com a dor - Getty Images

Conviver com a dor

A dor é um alerta de que algo está fora de ordem no seu corpo, eliminar esse sinal pode trazer consequências indesejadas. O neurologista José Geraldo Speciali conta que estudos demonstram que quem sofre de cefaleia frequente tem pior qualidade de vida em comparação com quem não convive com a dor. "E mais, os pacientes evitam situações importantes como contato social, reuniões familiares e processos seletivos em função da ansiedade, ou seja, o medo de assumir compromissos e não poder ir caso tenha uma crise nesse dia", conta. 
Esperar a dor passar - Getty Images

Esperar a dor passar

Muita gente pensa que o melhor é esperar a dor de cabeça passar. Mas nem sempre isso funciona. Thaís Rodrigues explica que a dor de cabeça crônica tem tratamento. Ele é feito com medicações prescritas por um especialista - a maioria dessas medicações são tomadas via oral. Mas também existem outras opções, como a acupuntura, as orientações de rotina, como a alimentação adequada, e o exercício físico regular.